CGE integra Sistema de Controle Interno ao Sistema Eletrônico de Informações

A Controladoria-Geral do Estado do Piauí (CGE-PI), com apoio da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), integrou duas importantes ferramentas eletrônicas do Estado: o Sistema Integrado de Controle Interno (Sincin), que permite analisar processos de despesas do Poder Executivo; e o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), o sistema de gestão de processos administrativos. A integração tem o objetivo de gerar maior segurança e agilidade nas análises.

“Antes, o servidor do Núcleo de Controle Interno do órgão analisava os processos no Sincin e gerava os relatórios em PDF ou imagem para anexar aos processos do SEI. Agora, no ato da conclusão das análises, os relatórios são incluídos, automaticamente, nos respectivos processos. Isso permite uma maior integridade das informações entre os documentos emitidos nos dois sistemas, além de influenciar na diminuição do tempo de análise”, explica Alan Soares, Gerente de Tecnologia da Informação da CGE.

As mudanças ocorrem apenas nos processos cujos órgãos implantaram o SEI. No cadastramento inicial da análise, aparecerá mais uma opção para o SEI. No momento de finalização da análise, o Sincin incluirá o relatório no SEI, estando pronto para assinatura digital do servidor responsável.

De acordo com o coordenador de Núcleos Setoriais de Informática da ATI, Richardson Santos, a utilização do SEI traz uma série de benefícios ao Estado. “O SEI gera economia com a diminuição ou até eliminação do uso do papel, atrelado a isso temos redução de todos os gastos acessórios como material de escritório, locação de impressoras, despesas de malote, despesas com deslocamento, acrescentando-se a isso o fator da celeridade e eficiência no trâmite dos processos administrativos que agora podem ser despachados para mais de uma unidade ou órgão ao mesmo tempo, permitindo um trabalho paralelo dos servidores envolvidos em um determinado processo”, explicou Richardson Santos.

O coordenador acrescentou que o SEI permite a digitalização, armazenamento e organização dos processos em uma base centralizada. “Isso possibilita uma gerência mais eficiente e a integração com diversos outros sistemas do governo estadual e federal”, finalizou.

O Sincin é apenas o primeiro passo. O SEI também será integrado ao  Sistema de Administração Financeira do Piauí (Siafe), Sistema de Monitoramento de Obras (SIMO), Sistema de Gestão de Pessoas (Siape) e Processo Eletrônico Nacional (PEN), que permitirá a troca de processos entre o Estado do Piauí, o Governo Federal e demais estados já integrados ao PEN.

O controlador-geral do Estado avalia positivamente a integração, como forma de gerar mais eficiência aos trâmites burocráticos. “O Sistema Eletrônico de Informações é uma ferramenta importante que ajudar a dinamizar o dia a dia da gestão pública e desburocratizar os atos de gestão, a tramitação dos processos. Com essa integração avançamos muito em matéria de desburocratização do controle interno no poder executivo do Piauí”, considerou.

Autoria: Virgínia Santos

CGE estabelece prazo para implantar SEI até final de junho

Os processos da Controladoria-Geral do Estado do Piauí devem tramitar, exclusivamente através do Sistema Eletrônico de Informação (SEI), até o final de junho.

A CGE é um dos quatro órgãos por onde a implantação do sistema iniciou. Além do órgão de controle interno do Governo Estadual, estão em fase de implantação a Secretaria da Administração e Previdência (Seadprev), Agência de Tecnologia da Informação (ATI) e Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

Na manhã desta quarta-feira (12), o Controlador-Geral do Estado, Márcio Souza e o Gerente de Tecnologia da Informação da CGE, Alan Soares, estiveram reunidos com o diretor-geral da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), Antônio Torres, para solicitar capacitação aos servidores da CGE.

“Estabelecemos o prazo até final deste mês para que todos os processos tramitem pelo sistema. Esta é uma medida oportuna, pois além de dar celeridade ao trâmite dos processos, espera-se uma economia com impressões de papel”, ressaltou Souza.

Ainda nesta quarta (12), auditores da CGE estiveram reunidos com o Coordenador do Núcleo Setorial de Informática da ATI e membro do comitê central do SEI, Richardson dos Santos Silva, para definir o cronograma de capacitação.

Além do curso online, feito através da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), ATI promoverá treinamento prático, nos dias 17,18 e 19 de junho.

SeadPrev inicia uso do SEI para justificativas de falta

Diretores, superintendentes e demais servidores da Secretaria de Administração e Previdência (SeadPrev)receberam nesta segunda-feira, 15, no auditório da SeadPrev, treinamento e apresentação sobre o Sistema Eletrônico de Informação (SEI). A partir desta semana, todo servidor da SeadPrev que quiser fazer justificativa de falta terá que acessar ao SEI para requerer o abono.  

“Damos o pontapé inicial nessa implantação do sistema na SeadPrev e ganhamos mais celeridade, economia no uso do papel, tudo via digital, com rapidez de resolução das demandas e garantia de segurança na tramitação dos processos”, ressaltou o secretário Ricardo Pontes. 

Atualmente uma portaria em vigor torna obrigatória a participação dos servidores da SeadPrev efetivos, comissionados, estagiários e terceirizados que exercem função administrativa em curso virtual do Sistema Eletrônico de Informação (Sei). Para fazer o login no sistema, basta inserir email institucional e senha, a mesma usada no email. 

De acordo com a superintendente da Escola de Governo (Egepi) e membro do Comitê Central do SEI, Janaína Mapurunga, para ter acesso ao portal SEI, o servidor dever fazer o curso de capacitação disponibilizado pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP).  Neste link.

“Após essa primeira etapa de capacitação virtual, o Comitê Central realizará treinamentos presenciais aos servidores que irão utilizar o sistema do SEI nas secretarias. Vamos mostrar na prática com modelos de processos em ambiente de testes”, adianta.  

O SEI será implantado inicialmente em cinco órgãos. Secretaria da Administração e Previdência (Seadprev), Agência de Tecnologia da Informação (ATI), Controladoria-Geral do Estado (CGE), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria da Fazenda (Sefaz). Após esse processo inicial, o sistema se estenderá a todos os órgãos do Poder Executivo. 

O sistema de gestão de processos e documentos eletrônicos foi desenvolvido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) e já foi implantado nos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia e no Distrito Federal. 

Sefaz inicia treinamentos para implantar Sistema Eletrônico de Informações (SEI)

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) iniciou o treinamento dos servidores sobre o Sistema Eletrônico de Informações (SEI). O sistema foi instituído pelo decreto nº 18.142/2019 e será o responsável por gerir documentos e processos administrativos do Estado. 

“Orientamos a equipe da Sefaz no sentido de agilizar a implantação do SEI, de forma a eliminar o uso de papel na secretaria”, disse o secretário Rafael Fonteles.

Segundo Antonio Manoel Ribeiro, coordenador de implantação do SEI na Sefaz, a primeira parte do treinamento é feito a distância. “Os servidores já começaram a fazer o treinamento virtual, muitos inclusive já concluíram. A previsão é que, até o fim do mês de abril, todos os servidores da Sefaz já tenham concluído o treinamento”, explica Ribeiro.

O próximo passo, segundo o coordenador, é o treinamento presencial. “No treinamento a distância, os servidores só conhecem a ferramenta. No presencial, vamos arregaçar as mangas e criar processos, tramitar em um ambiente de testes que não afeta em nada a administração. Isso deve começar em duas semanas”, adianta Antonio Manoel.

O SEI vai integrar todos os órgãos do Estado para abolir o uso do papel e, com isso, digitalizar todas as demandas, gerando economia e eficiência administrativa. O processo piloto de implantação, além da Sefaz, envolve a ATI, PGE, CGE e Seadprev. “A Seadprev é quem passa as diretrizes em relação à parte de gestão e processual e a ATI comanda a parte técnica”, afirma o coordenador.

A ATI, segundo Antonio Manoel, é o primeiro órgão a digitalizar todos os processos. Na Sefaz, o primeiro setor de processos a ser digitalizado é o de justificativa de faltas dos servidores.

“A nossa realidade é bem mais ampla, pois temos mais de 1.500 servidores a serem cadastrados na ferramenta. Os primeiros processos digitalizados serão de justificativa de falta”, afirma Ribeiro.

“Além do treinamento, estamos apresentando o projeto em todos os setores da Sefaz, nessa quinta-feira (04), por exemplo, apresentamos aos servidores do posto fiscal da Tabuleta”, acrescentou o coordenador.

Todos os servidores da Sefaz devem fazer o treinamento a distância, previsto em portaria assinada pelo secretário da Fazenda, Rafael Fonteles.

Comitês avaliam mobilização para servidores realizarem o curso- SEI

O secretário Ricardo Pontes esteve em reunião nesta quinta-feira, 21, com o comitê central do Sistema Eletrônico de Informações (Sei) e comitê setorial da SeadPrev para discutir ajustes sobre os próximos passos para treinamento dos servidores no uso do sistema.

Há uma portaria baixada recentemente pelo secretário que torna obrigatória a participação em curso virtual do SEI aos servidores efetivos, comissionados, estagiários e terceirizados com função administrativa na SeadPrev. O instrumento normativo estabelece também que a partir do dia 29 de março, o uso do SEI fica obrigado para solicitação de férias e justificativa de falta do ponto eletrônico da SeadPrev.

Em fevereiro, o SEI foi estabelecido em decreto como sistema oficial para gestão de documentos e processos administrativos no âmbito dos órgãos da administração direta e indireta do Estado do Piauí.

Com a implantação do sistema, todo tipo de correspondência interna no governo, como ofícios, memorandos e despachos serão efetuados de forma eletrônica. “Esse sistema tornará a tramitação mais rápida, ganharemos muito em eficiência, além da redução de custos. Haverá um maior controle de tudo que é realizado pela administração estadual, onde haverá um procedimento padrão para todos os órgãos com a customização de documentos e treinamento para os técnicos”, explica Pontes.

Servidores terão prazo para conclusão de curso do sistema SEI

Membros do comitê setorial da Seadprev (SEI –PI) estiveram reunidos nesta terça-feira,19, na sala de reunião da Escola de Governo (Egepi), para tratar da mobilização dos servidores a finalizarem seus cursos disponibilizado pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Para fazer inscrição no curso que tem avaliação e certificado, o servidor deve acessar o portal da ENAP, através deste link.

O secretário de Administração e Previdência, Ricardo Pontes, assinou portaria que torna obrigatória participação dos servidores da SeadPrev efetivos, comissionados, estagiários e terceirizados que exercem função administrativa em curso virtual do Sistema Eletrônico de Informação (Sei).

“Os servidores terão o prazo para concluir o curso on line até dia 31 de março. O curso vai capacitar as pessoas que atuam na gestão de documentos da SeadPrev para utilizar o sistema do  SEI,  facilitando o acesso de servidores às informações institucionais e proporcionando celeridade, segurança e economicidade após a sua implantação”, explica Ricardo Pontes.

O instrumento normativo estabelece também que a partir do dia 29 de março, o uso do SEI fica obrigado para solicitação de férias e justificativa de falta do ponto eletrônico da SeadPrev.

Entrevista sobre o SEI

Acompanhe entrevista da superintendente da Escola de Governo do Piauí (Egepi), Janaína Mapurunga. A gestora fala sobre as vantagens do sistema e o cronograma de implantação.

Governo lança sistema que institui processo eletrônico no Estado

O governador Wellington Dias apresentou, nesta quinta-feira (28), em solenidade no Palácio de Karnak, o Sistema Eletrônico de Informação (SEI), ou Governo sem Papel, que faz parte do processo de modernização e da reforma administrativa do Estado que trará mais economia aos gastos públicos. Nos próximos meses, milhares de processos que tramitam anualmente na estrutura administrativa do Executivo estadual passarão a ser digitais. 

A implantação do SEI garantirá duas grandes economias: a primeira na redução do tempo no trâmite processual, garantindo ao cidadão um retorno rápido das demandas; e, para o governo, economias no gasto com papel, impressão de documentos, postagens e combustível devido ao transporte de documentos. Além de estar contribuindo com a preservação do meio ambiente, pois não gera impacto ambiental. 

Segundo o secretário de Estado da Administração e Previdência, Ricardo Pontes, esta é mais uma etapa do processo de modernização do Estado e trará mais eficiência, agilidade, transparência e economia, considerando os gastos com material de expediente, despesas com transporte de processos, digitalização de documentos e tempo gasto. Para ele, o sistema será importantíssimo para dar maior agilidade nos processos de trabalho, como: fluxo de obras, compras, licitações e contratos, trazendo também resultados importantes para a sociedade. 

O processo iniciará em quatro órgãos: Secretaria da Administração e Previdência (Seadprev), Agência de Tecnologia da Informação (ATI), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e na Controladoria Geral do Estado (CGE). Após esse processo inicial, o sistema se estenderá a todos os órgãos. A Seadprev e a ATI são os órgãos responsáveis pelo processo de implantação do SEI, cumprindo metas e prazos.

O sistema do SEI Piauí será regulamentado por um comitê central formado pelos órgãos: Procuradoria Geral do Estado, Agência de Tecnologia da Informação, Controladoria Geral do Estado e Secretaria de Administração e Previdência. O comitê também é responsável por organizar documentos e realizar cursos e treinamentos presenciais para os servidores que irão utilizar o sistema do SEI nas secretarias. 

Com a implantação do sistema, todo tipo de correspondência interna no governo, como ofícios, memorandos e despachos serão efetuados de forma eletrônica. “Esse sistema tornará a tramitação mais rápida, ganharemos muito em eficiência, além da redução de custos. Haverá um maior controle de tudo que é realizado pela administração estadual, onde haverá um procedimento padrão para todos os órgãos com a customização de documentos e treinamento para os técnicos”, explica Pontes.

De acordo com o gestor, o instrumento digital traz mais segurança, transparência e celeridade para a administração pública. “Nós também teremos a garantia de que o documento estará ali, possibilitando a rastreabilidade, as peças que foram inseridas, as alterações que foram feitas. Por meio do SEI se melhora o acesso à informação, sabendo quanto tempo um processo está em uma determinada unidade, o que nos possibilitará cobrar trâmites e decisões mais rápidas,” concluiu o secretário. 

Comitês recebem instruções sobre uso do sistema SEI

O Comitê Central, Comitê Local e Núcleo de implantação do Sistema Eletrônico de Informação (SEI) estiveram reunidos na ultima quarta-feira, 06, na Escola Fazendária da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz-Pi), em um vídeo conferência com as servidoras do Distrito Federal, Rhiane Torres e Janaína Ferreira, responsáveis pela implantação do sistema naquela região. A reunião teve como finalidade obter esclarecimentos quanto ao uso do Sistema SEI.

De acordo com a superintendente da Escola de Governo, Janaína Mapurunga, o Comitê Central já está organizando documentos para curso presencial dos servidores que irão utilizar o sistema do SEI nas secretarias.

“Estamos solicitando junto à equipe do Distrito Federal alguns modelos de documentos padrões como manuais e decreto entre outras medidas, além disso, já estamos organizando toda questão de treinamento para os demais servidores manusearem o sistema”, explicou.

O servidor do TRE-PI/TJ-PI, Agnaldo Abreu, técnico que implantou o SEI em dois órgãos aqui no estado também participou da reunião e esclareceu pontos como a importância da capacitação, remuneração dos instrutores e também a importância do treinamento que é transmitir a filosofia do SEI.

Com a implantação do sistema, todo processo administrativo será tramitado por meio da tecnologia. A iniciativa vai gerar economia para o Estado, permitindo maior produtividade, rapidez, transparência e segurança aos trâmites administrativos.